Rótulos


RotulosÉ tão engraçado, será que é essa palavra mesmo? Porém vamos nomea-la de ENGRAÇADO, a forma que a sociedade é capaz de rotular até mesmo o tipo de casais a qual devem ser formado, para serem ‘felizes para sempre’.

Antigamente nas famílias muito conservadoras existiam isso, mas afinal, quem escolhe nosso ‘amor’, somos nós os responsáveis, ou nosso coração?
Pelo o que somos guiados? Emoção, ou razão?

Até que ponto estamos disposto a ultrapassar preconceitos, para vivermos o que aparentemente nos fará tão bem?

São perguntas tão difíceis a serem respondidas, mas acredito que somos unicamente nós quem fazemos tais escolhas, só nós podemos responder a cada pergunta. Por mais que o coração pule, bata mais rápido e faça uma festa dentro da caixinha do peito, sempre pensamos “Poxa o que fulano vai pensar? O que vão falar de mim?” sempre conseguindo calar os sentimentos, pelo o possíveis medo de olhares tortos.

São poucos que são capazes de da tamanho passo, e posso afirmar, conheço casos de pessoas que deram tal passo, mas não viveram o que acharam o que realmente viveriam, e culpam o amor, culpa o outro, e se sentencia a nunca mais fazer tal “burrice”, mas minha cara… Embora chamado de “Burrice” Há algumas burrices, muito boas depois de cicatrizadas, há burrices que nos deixam ótimas lembranças.
Viva o hoje!!!

Por: Thaísa Nascimento

 

Anúncios
Nota

“Julieta não foi idiota ao se apaixonar por


“Julieta não foi idiota ao se apaixonar por Romeu, seu “inimigo”. Dizem por aí que o amor é questão de escolha, você que escolhe quem amar. Ah, faça-me o favor né. Você não sai por aí escolhendo quem você vai amar ou ir fazendo hipóteses sobre “eu poderia amar aquele ali né?”. Você pode tentar esquecer quem você amou ou tentar amar mais quem você odiava, mas escolher? Acho que as pessoas já invetaram coisas absurdas demais. O amor ele simplesmente acontece, você não o vê, não escolhe. O amor não escolhe cor, país, religião, idioma… só acontece e ponto final. Tá, tudo bem, não sou a pessoa mais indicada para falar de amor ou relacionamento, mas uma coisa eu posso afirmar, Romeu e Julieta não foi a mais linda história de amor de todos os tempos, mas foi bonita sim. Aí vem e me dizem que é por que não tiveram tempo das brigas de casais, Julieta não dizia para Romeu que estava com dor de cabeça e virava a cara e coisas do tipo que acontecem hoje em dia. Na verdade, não tiveram tempo de sentir muita coisa, mas tiveram tempo de sentir a paixão. E talvez seja por isso que seja uma das histórias mais famosas de todos os tempos, não por que Julieta tenha cometido suicídio, mas sim por que se amavam sem mais nem menos, sem prós e contras, não se amavam à mínguas e antigamente “eu te amo” não era “bom dia” como é hoje. Hoje, coisas desse tipo foram banalizadas, não culpem a história de Shakespeare por coisas que foram feitas pela maioria das pessoas de hoje. Não digam que é muito clichê sendo que vocês banalizaram o significado de “eu te amo”, “vou estar com você para sempre” e coisas do tipo. Shakespeare era escritor e não vidente. Talvez se fosse vidente nem teria escrito Romeu e Julieta sabendo que vocês iriam chamar sua protagonista de boba e banalizar o sentido de amor, relacionamento, união.”
Quando o amor vem, não tem a opção de amar ou não amar. Não existe a razão, você apenas ama